Ads Top

Câmara de vereadores de Rio do Antônio emite nota de esclarecimento


A Mesa diretora da Câmara Municipal de Rio do Antônio divulgou uma nota de repúdio ao comentário publicado nas redes sociais, notadamente no site “INFORME RIO DO ANTONIO”, a respeito de noticia divulgada, nesta data, (28/05/19), fazendo alusão à suposta sabotagem do presidente da Câmara. Na nota, a Câmara de Vereadores explica o ocorrido e repúdia as informações veiculada.


Veja a nota:

''Manifestamos nossa indignação frente a qualquer tipo de sabotagem, importa destacar para conhecimento geral que o presidente da Câmara em momento algum se posicionou contra a realização da referida audiência publica, mesmo porque não é de competência da presidência explanar sobre o tema, cabe aqui esclarecer que é de competência exclusiva do poder executivo.
Vale salientar, ainda, que todas as audiências publicas realizadas nesta casa legislativa, teve e sempre terá o apoio deste legislativo, sendo adotadas todas as providencias necessárias para o seu tramite regular.
Ressaltamos, por oportuno que naquela data, a mesa diretora juntamente com os demais vereadores em reunião para tratar de assuntos de interesse administrativo, eis que o plenário da câmara já havia sido liberado para que o Poder Executivo realizasse a audiência publica designada para as 08h00min.
Enquanto aguardavam pela realização da audiência publica convocada pelo poder executivo, entretanto, surpreendentemente, sem nenhuma explicação plausível o expositor da audiência convocada pelo poder executivo se retirou do plenário sem qualquer justificativa plausível.
Tão logo tomamos conhecimento da ausência daquele que detém a obrigação de explanação e apresentação demonstrando os resultados e avaliação das metas fiscais, (obrigações do poder executivo), do 1º quadrimestre de 2019, do município, em consonância com a Lei de Responsabilidade Fiscal.
A presidência da câmara se dirigiu ao plenário com o intuito de dar inícios aos trabalhos legislativos, como costumeiramente o faz, os cidadãos que teriam ido para assistir, acompanhar e pronunciar sobre algum tema de interesse publico, já não se encontravam mais naquele recinto, mesmo assim o presidente da Câmara optou por continuar com os trabalhos do legislativo, fato esse inclusive, registrado em ata.
O fato é que toda audiência pública quando convocadas pelo poder executivo, cabe a este a realização, compete à presidência da Câmara tão somente a disponibilização do espaço, a exemplo de diversas outras audiências publicas realizadas nesta casa leis.
A postura daquele que deveria explanar sobre o tema em comento, apesar de nos indignar não nos causa estranheza, já que o mesmo vem se comportando de forma inadequada perante o poder legislativo, não considerou que naquela mesma data, assim como todas as quinta feiras serão realizadas as sessões ordinárias da Câmara de Vereadores, o que, a nosso ver, inviabiliza e torna prejudicados os trabalhos do poder legislativo. 
Diz a nota: “Populares se revoltam”, ora se os populares se revoltaram certamente foi em decorrência da ausência da audiência publica não se pode vincular o presidente da casa por falta de responsabilidade de outrem. 
Registra-se que há pessoas de caráter duvidoso e de reputação ímpia, como é de conhecimento de todos, que usam de todos os artifícios para prejudicar o legislativo, faz uso e manipulações de instrumento, que é proposto a qualquer cidadão, para tentar de maneira, baixa, truculenta e execrável, mobilizar a sociedade civil com o objetivo de ofuscar sua já fragilizada credibilidade.
Afirma em falácias uma argumentação vazia e desprestigiada, desprovida de qualquer elemento probatório. Ocorre que, tão cheia de inverdades, levianas e irresponsáveis são, que é notável que o imprudente utilize dos meios sortidos, como é de sua própria caraterística, esquecendo-se do rancor pessoal que a míngua da verdade, sempre se sobrepôs as seus interesses públicos, manifestando no site “INFORME RIO DO ANTONIO”, que narra de forma hipócrita e dissimulada, induzindo a erro as pessoas de boa-fé, a certeza de uma suposta condenação.
Certas pessoas, enquanto agente politico deveria zelar por uma conduta ilibada, pautada no respeito e estrita observância dos preceitos éticos que regem os princípios fundamentais do ser humano.
Por fim vale lembrar que a audiência publica designada para o dia 31 do corrente, sequer foi solicitado à presidência o espaço para a realização de referida audiência, em total desrespeito aos princípios que reze esta casa de leis''.





Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.