Ads Top

Após vencer tumor menina de 5 anos pede festa de aniversario com tema de Nossa Senhora Aparecida



Uma história de fé tem causado muita emoção em Ouro Preto. A pequena moradora do bairro Padre Faria, Emanuelly Lara Almeida Costa, de apenas 5 anos, viralizou na internet durante sua festa de aniversário. Com um tema inusitado para uma criança da sua idade, ela pediu uma decoração de Nossa Senhora Aparecida. A reportagem de O Liberal conversou com a mãe de Manu, como gosta de ser chamada, Dayane Layne Teixeira, para conhecer sua história e a sua devoção pela Santa.
Dayane conta que mesmo com a pouca idade, a pequena Manu é uma guerreira, que já passou por sérios problemas de saúde. “Há dois anos nós descobrimos que a Manu tinha um tumor no ovário esquerdo, isso somente depois de 12 infecções de urina e seis internações. Os médicos não sabiam dizer o que ela tinha, falavam que era desvio, os exames acusavam apenas infecção, que era uma bactéria, mas ao mesmo tempo não era. Nisto já estava desesperada, muito preocupada com ela. Então foi na sexta internação que eu disse que não queria mais enganação, que não iria deixá-los ficar judiando da minha menina, enchendo ela de tanto antibiótico sem saber de fato o que ela tinha. Não queria mais minha menina sofrendo e pedi um especialista. Foi aí que consegui um encaminhamento e depois de um exame de imagem mais específico, conseguimos descobrir o que ela realmente tinha”, relembra a mãe emocionada.
Depois do diagnóstico a família de Manu começou mais uma batalha, uma vaga para fazer a cirurgia. “A médica disse que era um tumor benigno, mas era preciso uma cirurgia para que não se tornasse maligno. Assim começamos mais uma jornada. Teve médico que me disse que minha filha não ia conseguir operar, pois em Belo Horizonte tinham crianças muito mais graves do que a Manu. A Manu foi piorando, perdendo as forças e eu junto com ela, de vê-la naquele estado. Mas eu nunca perdi a fé em Nossa Senhora, e graças a Ela e as nossas orações, conseguimos a operação. Sempre rezava junto com ela”, conta.
Assim, a pequena passou pelo procedimento, e já no quarto junto com a mãe, pediu para que rezassem, agradecendo a Santa pela intercessão. “Ainda no hospital ela me chamou para orar para nossa Senhora Aparecida. Foi aí que a fé dela começou, com apenas 3 anos, e ela sempre pede para ir a missa e está sempre com seu tercinho pendurado no pescoço”, revela. Após a recuperação, a família pagou uma promessa com a realização de uma missa em agradecimento na Capela de Nossa Senhora Aparecida, no bairro Vila Aparecida, com distribuição de doces ao final.
Dayane frisa que foi depois da sua recuperação que Manu pediu a festa de Mamãe do Céu, para o seu terceiro aniversário. “Nessa época eu não coloquei muita fé no pedido dela, pois estava recente. Mas, aos 4 anos, ela me pediu novamente. Mas infelizmente na época não tinha condições e expliquei a ela, pois também tenho outra filha. Mas prometi que aos cinco anos, se estivesse trabalhando, faria a festa para ela. E ela novamente pediu. Eu ainda perguntei –‘Filha, você tem certeza? Não quer um tema de desenho, princesas? E ela sempre enfática, não mãe, quero o tema Mamãe do Céu-” ressalta.
E a festa da Manu saiu do jeitinho que ela queria, com a ajuda dos familiares. A mãe conta que a pequena cuidou até dos detalhes, como lembrancinhas, sendo um terço para os convidados, uma missa para agradecer, um bolo de bíblia, a presença e benção do padre da paróquia em sua festa e é claro, uma imagem da Santa, além de ter uma roupa semelhante a da Padroeira. E ela ainda surpreendeu a todos cantando a música que viralizou nas redes sociais. “Eu fiquei muito surpresa quando ela pediu para cantar a música Mãezinha do Céu. Foi tudo muito lindo, perfeito. A Manu é guerreira desde que nasceu, pois além do tumor que tirou, ela teve outros problemas de saúde. Nasceu com bactéria no pulmão e outras complicações. Eu sou muito grata à minha Santa por todos os milagres que nos proporcionou. Se ela está aqui hoje é graças a Ela”, se emociona Dayane.
A mãe diz que se sente muito grata pela cura da filha e fica emocionada ao poder contar a sua história. “Eu fico muito feliz de ter a oportunidade de compartilhar a história dela para que todos conheçam. Eu choro até hoje, mas em agradecimento à Nossa Senhora. Vou levá-la em breve à Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida do Norte, para que conheça e que ela nunca perca a fé, pois sem ela a gente não é nada”, contempla.

Por Michelle Borges


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.