Prefeitura de Lagoa Real não paga piso salarial aos professores, diz APLB


 

Uma professora que não quis ter a identidade divulgada relatou nesta quarta-feira (20) que a prefeitura de Lagoa Real, no sudoeste baiano, não ajustou o piso salarial dos profissionais da educação básica. No relato enviado à Rádio Portal Sudoeste, a docente narra que os profissionais estão sendo marcados pelo gestor Pedro Cardoso. “Sou professora, a mais de duas décadas e há alguns anos, não passamos por situação de humilhação vindo do gestor municipal. Ele não chegou ao valor determinado. Paga os professores o mesmo valor aos profissionais, independente se tem formação, especialização ou anos de serviço”, disse. Ainda conforme a professora, a gestão alega que não tem dinheiro para pagar corretamente mas tem “pra inchar a folha com contratações desnecessárias”. “Aqui na cidade ninguém faz nada, vereadores por exemplo, tudo compactados com ele, diz amém pra tudo”, acrescentou. A APLB sindicato, no quadro “Fala APLB” que vai ao ar na Rádio Portal Sudoeste, na edição desta quarta, disse que o município de Lagoa Real é o único da delegacia Serra das Almas que não paga o piso. Segundo a gravação divulgada, a lei federal que institui o piso também assegura a complementação financeira ao município que comprove que não tem condições para pagar e o município tem que se adequar para receber essa complementação. Conforme a APLB, a segunda reunião da mesa de negociação com a prefeitura de Lagoa Real, era pra ter acontecido na semana passada, mas não aconteceu e a Secretária sinalizou dificuldade em realiza-la esta semana, contudo, a categoria está na expectativa de que o pagamento de abril seja feito com correção do piso e que seja definido pagamento do retroativo. A Rádio Portal Sudoeste aguarda um posicionamento da prefeitura a cerca do impasse. Com informações da Rádio Portal Sudoeste.





Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.